EFICIÊNCIA, TRANSPARÊNCIA E HONESTIDADE.

Chico Buarque (meu ídolo desde sempre) enfrentou a forma de “governar”, imposta pelo Regime Militar (1964/1985), com suas composições, entoadas em belas melodias.

Diferentemente de outros “opositores”, acredito que não tenha empunhado armas. Mas, sem sombras de dúvidas, Chico Buarque usava uma arma muito poderosa, o seu talento musical, e isso incomodava os governos militares. E tanto incomodava que teve composições barradas pela censura da época. Calaram sua voz mas não conseguiram frear o seu pensamento. Para driblar os censores do governo, passou a assinar suas obras com o pseudônimo: “Julinho da Adelaide”.

Hoje vivemos a democracia plena. A Ditadura distancia-se no tempo (décadas), ficou na história e muito mais na memória (in memoriam) daqueles que se opuseram ao Regime Militar.

MELODIAS “ETERNIZADAS”
Revestidas de magia! Um convite para viajar no tempo!! Inebriam e até confundem a mente: “SERÁ PASSADO, OU PRESENTE?”

A propósito, Chico Buarque escreveu em
“VAI PASSAR”:
“…
Num tempo
Página infeliz da nossa história
Passagem desbotada na memória
Das nossas novas gerações.
Dormia
A nossa pátria mãe tão distraída
Sem perceber que era subtraída
Em tenebrosas transações.
…”.

O TEMPO É IMPLACÁVEL: “O TEMPO NÃO PARA”!!!
Muitas coisas mudam! Devem continuar mudando!! Para melhor!!!

ÀQUELES QUE JÁ ESQUECERAM
Destaco aqui, trechos das músicas usadas na campanha presidencial:
Dilma: “ … NÃO DEIXE A MUDANÇA PARAR. NÃO DEIXE PARAR DE MUDAR … .”
Aécio: “ … A MUDANÇA COMEÇOU E O FUTURO JÁ MANDOU CHAMAR …”

Observe que ambos pregaram mudanças. E sejam elas administrativas ou comportamentais, que realmente aconteçam…
COM EFICIÊNCIA, TRANSPARÊNCIA E HONESTIDADE.

DE “ENTRANHAS” EXPOSTAS.

RESULTADOS DA “OPERAÇÃO LAVA JATO” EXPÕEM AS “ENTRANHAS” DA PETROBRAS E COLOCA GOVERNOS EM SITUAÇÃO DELICADA.

Há fila no STF – Supremo Tribunal Federal – para validação de Delações Premiadas. Observa-se que as pessoas ouvidas nas investigações, pretendem contar tudo: como funcionou o “propinoduto” e apontar todos que, de forma criminosa, “embolsaram” o dinheiro público (bilhões de reais).

“ESQUELETANDO”

É DIFICÍLIMO ENUMERAR TODOS OS “ESQUELETOS”, OCULTOS NOS ENTES FEDERATIVOS: MUNICÍPIOS, ESTADOS E UNIÃO.

ESQUELETOSMAS, SE DESNUDADOS, A “FARRA” PODE ACABAR!!!

BOBÓ DE CAMARÃO, NÃO! BOBÓ DE FRANGO!!!

FENELÔN E O BOBÓ DE FRANGO

Trajado a rigor, com imponência, todos os ingredientes previamente selecionados (peito de frango, sal, óleo, alho, cebola, tomate, mandioca, leite de coco, azeite de dendê, pimenta e coentro), lá seguia Fenelôn, cumprindo, etapa por etapa, o “cozimento” do Bobó.

Nesse interim, Jesonilda (já com a coluna puxando o estômago) aos cochichos com Bertalindo, ambos impacientes, – pairava no ar um quase constrangimento pela demora -, não se contiveram e indagaram: “Que Bobó será esse, gente!”.

Fenelôn, ciente do atraso, não se abalou e seguiu em frente. Deixou a etiqueta de lado, e “lascou”, no popular, “as palavras mágicas”, ansiosamente esperadas por todos: “Tá na mesa, pessoal”!

Imediatamente, todos a postos, movimentos quase simultâneos, silêncio geral, até que alguém balbuciou: tee, teem algu… alguma cois… coisa errada!!!

Embora hesitante, lá foi Fenelôn, até então considerado aspirante a chef, constatar que havia exagerado no alho e, muito, mas muito mais, na pimenta. Desastre total. Chiadeira geral.

Quem imaginou que o Bobó de Frango foi parar no lixo, se enganou!!!

Fenelôn, chef, aspirante a chef, reserva de chef, ou sabe-se lá o que, rearranjou a “coisa”. Após uma pequena resfriada foi providenciado um suco gelado (acredite) para conduzir o Bobó, goela abaixo.

Apimentado…, ai! E depois?

“A resposta já seria o início de outra …”.

Mas, acredito que administrar, fiscalizar e cozinhar, têm tudo a ver. E observo como singelos exercícios Políticos. Se não forem bem feitos, alguém acaba tendo que arcar com as consequências e deve se preparar para ouvir a “chiadeira” (isso no terreno doméstico). Entretanto, já no “trato da coisa pública”, administrar e fiscalizar obriga e requer responsabilidades maiores, muito maiores que vão além, muito além de uma simples “chiadeira”.

Então, quem tem “calças que precisam ser amarradas”, amarre-as …

A “NOBRE” E O “ABUTRE”.

ÁGUIA - URUBU-10

CONCEITOS LITERÁRIOS E INTERPRETAÇÕES BÍBLICAS

ÁGUIA
ÁGUIA31“A Águia simboliza nobreza, majestade, liberdade, agilidade e outras virtudes.
As águias possuem uma capacidade visual extraordinária, oito vezes mais precisa que a visão humana. Enxergam a sua presa de muito alto e se alimentam geralmente de pequenos mamíferos, répteis ou peixes.”*

“Mas aqueles que contam com o Senhor renovam suas forças; Ele dá-lhes asas de águia. Correm sem se cansar, vão para a frente sem se fatigar.” (Isaías 40:31).**

URUBU
urubu28“O Urubu pertence a família de abutres e se alimenta, principalmente, da carne de animais mortos em estado de putrefação; carniça.
No entanto, quando não encontram carne podre para comer, os urubus costumam caçar pequenos animais, como ratos, sapos ou lagartos. Na sua dieta, os urubus comem qualquer tipo de carne animal em decomposição (putrefação), incluindo corpos de seres humanos mortos, caso estejam ao alcance dessas aves.
O hábito dos urubus de se alimentarem de animais em estado de putrefação é de grande importância para o equilíbrio ecológico e do meio ambiente, por evitar a propagação de doenças causadas pelos vermes e bactérias.”*

“Onde houver um cadáver, aí se ajuntarão os abutres.” (Mateus 24:28).**

*Definições mais detalhadas sobre águia e urubu, você encontra em http://www.significados.com.br/
**Os textos bíblicos, aqui inseridos, foram escritos por Isaías e Mateus.