CADEIRAS COBIÇADAS

Foi dada a largada!
Nas raias você encontra uma gama de pretendentes que vai de “bom” a “péssimo”!

E quem vai sentá-los em tão cobiçadas e deslumbrantes cadeiras, é VOCÊ!

Que maravilha!
Você é o(a) maioral!
Você é o(a) “cara”!
O discernimento é todo seu!
O poder está em suas mãos!

ENTÃO,
para que no futuro não venha a se ver (ou ver-se mais) desolado ou decepcionado, atente-se para pequenos, mas importantíssimos detalhes que exigem muita acuidade, não significando que seja regra geral:

1 – o “bom” deverá manter sua conduta inabalável. Nunca ser seduzido por “deslumbramentos” que poderão conduzi-lo aos patamares de ruim ou péssimo.

2 – o “ruim”, que já se apresenta como um provável desastre, poderá vir a surpreender em duas variantes: negativamente (abraçando as tentações que levam ao péssimo) e positivamente (tornando-se bom).

3 – o “péssimo” (que aparenta ser, assumidamente, autêntico por natureza) tem a seu favor probabilidades de ascensões, ou seja, batalhar para alçar à avaliação de ruim e, em um improvável mas possível choque comportamental, até ser aclamado como bom, quiçá, até bom demais!

“ÓTIMO?”
Bem!
Aí seria muita ousadia, tipo querer demais, ou não?

“PIROCOCITÓLINOS”

Publicado por ZÉ LOPES

JOSÉ ANTONIO LOPES - JORNALISTA EDITOR/PROPRIETÁRIO DO JORNAL “O CLARIM”: 10/06/1973 – 20/11/1976. EDITOR/PROPRIETÁRIO DO JORNAL “A FOLHA DE AURIFLAMA: 14/08/1977 – 24/12/1978. EDITOR/PROPRIETÁRIO DO JORNAL “A FOLHA DE AURIFLAMA”: 13/03/1983 – 15/04/1984. DIRETOR RESPONSÁVEL DO JORNAL “A FOLHA DE AURIFLAMA”: A PARTIR DE 16/04/1984.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *