CONTRASTES SERRADOS

PARAFRASEANDO
“O que é feio
[feio, feio, feio]
a gente esconde
[esconde, esconde, esconde], (…).
O que é bonito
[bonito, bonito, bonito]
é pra se ver
[ver, ver, ver].”

Na pinçada acima as inserções de reticência e colchetes (lembrando os defeitos de um disco de vinil, riscado), são meus.

PRESIDENTE FALA À NAÇÃO
O pronunciamento feito por Michel Temer, na terça-feira (dia 15), procurou enaltecer suas conquistas, durante os últimos dois anos, à frente da Presidência da República.
Temer enumerou e comemorou o lado positivo da sua gestão porém, deliberadamente ou não, acabou “empurrando para debaixo do tapete” os pontos negativos que persistiram ou marcaram estes dois anos de governo.

Ah!
Não seria necessário, mas vale a pena registrar aqui:
“Michel Temer é governo desde primeiro de janeiro de 2011”. Ele assumiu a Vice-Presidência, ao lado da Presidente Dilma Rousseff.
A “dobradinha” (Dilma/Temer) se houve muito bem, dentro e fora do governo. Vencedora (a dobradinha) em 2010, governou por quatro anos e foi reconduzida à Presidência/Vice-Presidência do país, nas eleições de 2014, fazendo uso de fortíssimos argumentos que mostravam uma nação estável e promissora.

Seguiram lado a lado até o “rompimento”, em 2016.